9 de nov de 2012

Palavras

Como me encantam as palavras! Em suas entranhas existem brilho e escuridão. O mesmo paradoxo dialético que fiz sobre a chuva outro dia. E isso me maravilha. Como uma alma pode reviver com palavras! E como várias podem morrer de uma vez só ao soar de um conjunto de pensamentos encadeados.

Admiro quem sabe construir edifícios de palavras. Admiro textos bem escritos, bem elaborados e que despertam sentimentos únicos no leitor. Quero um dia me tornar um grande artista de palavras, se Deus assim me permitir, e saber erguer nem que seja alguns sobrados... já que os arranha-céus considero uma ambição grande demais para mim.

Existem pessoas que mistificam e adornam de mistério e magia o encadeamento das palavras. Eu admiro apenas o poder de construí-las! O restante de poder contido nelas (ou não) são apenas consequências de belas e inteligentes obras arquitetadas.

Me graduei em jornalismo por essa paixão. Por tentar entender um pouco da construção, mesmo que factual, de um texto seja ele informativo ou simplesmente "viajativo".

Confesso que tenho que me dedicar mais às letras, às palavras, às frases e aos textos. Tenho que me dedicar às ideias. Ideias que antes de transformar o mudo, transformam a mim mesmo quando em ebulição no meu ser, clamando o exterior. Por isso tenho que viver e escrever... escrever e viver. Pois com uma construção de palavras tudo se fez: "E haja luz!".

Nenhum comentário:

Postar um comentário